Nova sede do Sebrae no Acre conclui projeto de sinalização tátil

A estrutura tem como premissa acessibilidade plena para todos os visitantes

Está concluído o projeto de sinalização visual e tátil na parte interna da sede do Sebrae no Acre. A partir de agora os colaboradores e clientes podem caminhar sobre uma trilha metálica para conduzir deficientes visuais. Os sinais paralelos indicam o rumo e as bolinhas dão o sinal de alerta para cruzamentos ou entradas e saídas de portas e elevadores.

Esta trilha pode ser chamada de piso tátil, superfície tátil, pavimento tátil ou podotáteis e está disciplinada pela norma NBR 9050, publicada em 2004 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas. É composta por peças de alto relevo em desenho universal e de fácil reconhecimento pelo tato nas calçadas ou dependências de grandes edificações com grande circulação de pessoas.

A analista Sara Casas, gestora das obras da nova sede, lembra que os deficientes visuais também podem estar entre os clientes, colaboradores, prestadores de serviço e parceiros da casa. Sara informa que o projeto de acessibilidade do Sebrae contempla todas as alternativas. Para os cadeirantes foram construídas duas rampas laterais que conduzem ao elevador no primeiro piso onde estão as salas de treinamento e o auditório.

O projeto inclui sinalização em braile em totens em cada andar e nas portas de gabinetes. Com exceção do piso tátil, todo o projeto de sinalização e identidade visual foi desenvolvido pela Assessoria de Comunicação (Ascom).

A nova sede foi inaugurada em outubro passado como sendo referência em projeto que reúne sustentabilidade e acessibilidade. O Diretor-Superintendente, Mâncio Cordeiro, classifica a sede como um conceito e não um prédio. “Foi projetado para o atendimento ao cliente de forma integrada, com aproveitamento da energia solar e das águas das chuvas”, resume.

A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o Fórum Nacional de Normalização, é quem cria as Normas Brasileiras para aplicação legal através de uma comissão reunindo produtores, consumidores, universidades, centros de pesquisa e laboratórios, entre outros.