Sebrae Lab tem início na Universidade Federal do Acre

Iniciativa seleciona projetos inovadores para programa de pré-aceleração e mentorias

Uma parceria entre o Sebrae no Acre e a Ufac selecionou 16 projetos, entre 56, de empreendimentos inovadores e startups para serem executados no âmbito do Laboratório de Inovação – Sebrae Lab Ufac -  no campus de Rio Branco. O processo foi iniciado na última terça-feira, 21.

Os projetos selecionados serão incubados no Sebrae Lab Ufac, onde receberão acompanhamento de especialistas para a criação e desenvolvimento de empresas inovadoras e startups com aplicação de metodologias de pré-aceleração em três fases: Formação Contínua; Prototipação Coletiva e Prototipação Individual. Nesta última fase, os oito primeiros projetos com melhor desempenho serão acompanhados de forma individualizada por dez semanas.

O gerente adjunto da Unidade de Comércio e Serviços do Sebrae, Alex Lima, comemorou o início do projeto. “Hoje estamos inaugurando o projeto piloto do Sebrae Lab da Ufac pelo processo de pré-aceleração. Estamos começando um trabalho de mentoria que vai durar 05 meses, e a ideia é que no fim desse período, esses projetos estejam prontos para entrar no mercado. Nosso objetivo é trazer ideias inovadoras que mudem a vida das pessoas”, ressalta.

A iniciativa surge de uma parceria a partir do projeto estratégico chamado “Ufac 20”, que atua no desenvolvimento de projetos impactantes para sociedade acreana. “Esse é um grande esforço da universidade em abrir suas portas para atrair as pessoas envolvidas no movimento de empreendedorismo no Acre. Nossa intenção é criar aqui soluções para a comunidade e é gratificante saber que esta é a primeira vez que o Sebrae Lab está sendo desenvolvido dentro de uma Universidade Federal”, explica Daniel Pena, assessor de Planejamento e Gestão Comunicativa da Ufac.

A comunidade recebeu a iniciativa com muita empolgação. “Desde que entrei na Ufac percebi que aqui existia a necessidade da questão do empreendedorismo e de fomentar os negócios locais para gerar ideias e perspectivas de novos empregos, porque isso movimenta o mercado. Trazer isso para dentro da universidade é uma iniciativa que incentiva a prática”, comemora Lucas Cruz, acadêmico de Sistemas de Informação.