Sebrae no Acre promove 5º Seminário de Panificação e Confeitaria em Rio Branco

Evento discutiu novas oportunidades de negócios para o segmento

Com aproximadamente 190 indústrias de panificação em funcionamento em todo o Estado do Acre, sendo 96 delas localizadas na capital Rio Branco, o Sebrae no Acre realizou no dia 8 de dezembro o 5º Seminário de Panificação e Confeitaria com o tema “Oportunidades de Negócios no Setor de Panificação”, no auditório da Fieac.

O Seminário foi realizado em parceria com o Sindicato de Panificação do Estado do Acre (Sindpan) e teve o apoio dos parceiros Senai, Fieac e ABIP (Associação Brasileira das Indústrias de Panificação). O evento faz parte das atividades do Projeto Panificação e Confeitaria nas Regionais do Alto e Baixo Acre, que envolve 44 empresas do setor e estão localizadas nas cidades de Brasileia, Xapuri, Acrelândia, Senador Guiomard e Rio Branco.

 “O seminário teve como objetivo repassar informações sobre inovação, gestão, processos e outros fatores que impactam positivamente o negócio da panificação”, informa Sandra Aparecida Veiga, analista do Sebrae no Acre e gestora do Projeto.

Sandra ressalta que o objetivo do projeto é promover o fortalecimento das indústrias de panificação localizadas nas Regionais do Alto e Baixo Acre por meio da inovação, desenvolvimento tecnológico e aprimoramento da gestão empresarial visando a geração de novos negócios.

A programação contou com três palestras: “Caso de sucesso: panificadora 24horas – Desafios e oportunidades”, ministrada por Francisco Themonthier, dono da panificadora Nordeste, em Rondônia; “Como a excelência no atendimento pode gerar lucro para as empresas”, do prof. Emerson – Pré-concurso; e “Oportunidades de negócios no setor da panificação: tendências e perspectivas”, com Giovani Mendonça (ABIP).

Ao final do evento, ocorreu sorteio de brindes e uma degustação dos produtos das empresas participantes. Além das 44 panificadoras do projeto, o evento foi aberto para todo o público do setor, sendo eles sócios proprietários, funcionários, trabalhadores informais e também os alunos dos cursos técnicos e graduação do Senai, Senac, Ufac e Fameta.